Excursões

Excursão Argentina – Buenos Aires 2018!

man and woman dance tango

Roteiro de 5 Dias em Buenos Aires

 

1º dia – sábado, Roteiro em Buenos Aires

PALERMO (Jardim Botânico, Parque 3 de Febrero, Rosedal, Jardim Japonês e Ruas de Palermo). – RECOLETA (Feira da Recoleta, Flor de Metal Floralis Generica, Cemitério da Recoleta, Igreja Nossa Senhora do Pilar, Avenida Alvear, Ruas da Recoleta). – CENTRO(Obelisco, Calle Lavalle, Calle Florida).

Após acordarmos, fomos tomar café no hotel La Perlla e conhecemos as famosas Mediallunas, espécie de croissant doce ou salgado, sem recheio, típicos dos cafés de Buenos Aires. Fora isso, muito Dulce de Leche (doce de leite), saladinha de frutas, manteca (manteiga), alguns pães doces (eles adoram), torradas e outras coisinhas mais. No café da manhã também é comum café com leche e muito chá (os chás são mais fortes que os nossos).

Mas não espere encontrar um farto café da manhã com quitutes caseiros como nas hospedagens do Brasil e nem achar um pãozinho francês por lá. Em Buenos Aires isso é bem difícil. Durante o café conhecemos um garçom que se arriscava no português. A cara era meio fechada, como a maioria dos argentinos, mas ele foi bem cordial.

Buenos Aires-Mediallunas-Parque 3 de febrero
Mediallunas

Pegamos o metrô da linha A que possui vagões bem antigos em madeira. Praticamente um museu ambulante. Descemos na estação Peru e fizemos combinacion (baldeação) para a linha D. Nosso destino era a Plaza Itália.

Atravessamos a rua e já entramos no Jardim Botânico (entrada franca). Maravilhoso! Um espaço enorme com várias esculturas, espelhos d’água, árvores e diversas plantas. No centro do jardim há um casarão com arquitetura bem bacana.

O interessante é que existem muitos gatos no lugar, mas muitos gatos mesmo! A presença desses habitantes inusitados deixa o lugar ainda mais diferente. E claro, já encontramos logo de cara brasileiros para trocar dicas de lugares legais para conhecer.

buenos-aires-jardim-botanico

Ao lado do Jardim Botânico fica o Jardim Zoológico, mas não entramos. Fomos andando em direção ao Parque 3 de Febrero e Jardim Japonês.

Chegamos primeiro no parque 3 de Febrero cheio de pessoas e famílias andando e praticando atividades físicas. O parque é gigante e muito bonito. São várias ruas largas cercada por gramados, árvores e lagos. Andando mais um pouco chegamos ao Rosedal, que fica dentro do parque 3 de Febrero.

Esse é um parque à parte, lindo, com vários tipos de rosas nos jardins, lagos e pedalinhos e uma grama verdinha, muito bem cuidada. E tudo isso de graça!

rosedal-em-buenos-aires

 

De lá andamos até o Jardim Japonês. No meio do caminho vimos pela primeira vez em Buenos Aires os “Dog Walkers” que são pessoas que levam os cachorros para passear nas ruas. Eles andam com vários cachorrinhos e cachorrões.

Chegamos ao Jardim Japonês e a surpresa foi muito bacana. O lugar é perfeito, com um casarão em estilo japonês logo na entrada (onde você pode pedir um mapinha do parque) e um lago bem grande com muitos peixes, todo cercado por pontes lindíssimas, mirantes e as lindas árvores, plantas e flores no estilo de jardim japonês.

No lugar existe lanchonete (mais para comprar guloseimas), restaurante e uma estufa onde são vendidas algumas plantas, em especial, os lindíssimos bonsais.

jardim-japones-buenos-aires

Saímos do Jardim Japonês de Buenos Aires e fomos andando pelas ruas de Palermo. Buenos Aires é uma cidade lindíssima, toda plana, com ruas largas, calçadas espaçosas e muitas, muitas árvores.

No outono a cidade fica ainda mais clássica com as ruas cheias de folhas amarelas caídas das diversas árvores que completam o cenário romântico da cidade. Fora isso, a arquitetura dos prédios históricos é de cair o queixo. Eles são lindíssimos e você pode encontrá-los em toda parte.

Também existem muitos cafés na cidade de Buenos Aires. E os argentinos frequentam muito esses lugares. Funcionam como cafés e também como restaurantes e barzinhos. Em cada esquina você encontra um, todos climatizados, com mesinhas dentro do espaço e na calçada, tudo muito bonito, com clima convidativo e aconchegante.

Por todo esse charme não é a toa que a cidade leva a fama de ter um estilo parecido com o europeu. Com lugares para passear e diversos pontos turísticos são muitas as opções do que ver e fazer em Buenos Aires. Por isso mesmo, andar pelas ruas da cidade em especial por Palermo, Recoleta e Puerto Madero é um passeio imperdível.

Ainda em Palermo chegamos até o shopping Paseo Acorta, ao lado do MALBA (Museu de Arte Latino Americano de Buenos Aires). Lindíssimo e com várias lojas requintadas. Almoçamos no restaurante Barbacoa, especializado em Parrilla Americana e aproveitamos para experimentar o Ojo de Bife (um dos melhores que provamos) com papas fritas (batatas).

Na maioria dos restaurantes você escolhe o tipo de carne (fatias enormes e grossas) e o acompanhamento (que geralmente são variações de batata e saladas). Os couverts de cestinhas com pães também são obrigatórios. Tudo acompanhado de um bom vinho ou se preferir, uma gaseosa (refrigerante).

Depois do almoço fomos andando até a Recoleta e durante o caminho passamos por várias praças e ruas muito bonitas e vimos até algumas embaixadas de alguns países.

A próxima parada foi na famosa Floralis Genérica, que fica em um espaço parecido com uma grande praça com árvores e um imenso gramado. A escultura é fascinante, enorme e super delicada. A flor é toda em metal e o mais interessante é o movimento que ela faz: durante o dia as pétalas da flor ficam abertas e a noite elas se fecham e ficam iluminadas.

roteiro-5-dias-buenos-aires-floralis-generica

Ao lado da Floralis Genérica fica a Faculdade de Direito que impressiona pelo seu tamanho. A frente do prédio possui vários pilares e uma escadaria bem grande. O tipo de arquitetura é parecida com a da Catedral Metropolitana no centro.

Faculdade de Direito em Buenos Aires

Atravessamos uma passarela e chegamos na famosa Feira da Recoleta e claro, mais brasileiros no pedaço. Dessa vez, um simpático carioca que estava em Buenos Aires já faziam 10 dias. E brasileiro é sempre gente finíssima, disposto a conversar, brincar e recomendar dicas bacanas.

A feirinha da Recoleta fica na Plaza Francia e acontece nos finais de semana e feriados. São diversas barraquinhas cheias de artesanatos dos mais variados ( artigos hippies, couros, rendas e souvenir). Ela é frequentada por turistas e pelos argentinos também. Por isso, aos finais de semana a feira fica cheia de pessoas andando ou apenas sentadas no gramado da praça com suas garrafas térmicas e cuias para tomar o famoso mate.

Ao lado da praça fica um posto de informações turísticas e aproveitamos para pegar um mapa de Buenos Aires bem legal. Do outro lado da praça fica o frequentado Cemitério da Recoleta.

Não se espante porque ele é frequentado mesmo por muitos turistas que fazem um verdadeiro tour para achar os jazigos das celebridades argentinas como Eva Perón, mais conhecida como Evita. Impressiona os mausoléus decorados e requintados aparentando uma certa disputa de poder entre eles.

Alguns possuem imensas estátuas que são verdadeiras obras de arte.

cemiterio-recoleta-roteiro-5-dias-buenos-aires

Ao lado do cemitério fica a Igreja Nossa Senhora do Pilar que possui um museu com entrada paga. Ainda na praça paramos pela primeira vez na tradicional sorveteria Freddo para provar o famoso sorvete de Dulce de Leche. MARAVILHOSO!

Mas não se esqueça de provar os outros sabores e também conhecer outras helaterias (sorveterias) de Buenos Aires que tem sorvetes tão bons quanto o Freddo. Seguimos nosso tour andando pela fabulosa Avenida Alvear, com fachadas lindas e lojas de algumas marcas como Louis Vuitton, Ralph Lauren e Ermenegildo Zegna.

No final da avenida encontramos o lindíssimo prédio da embaixada do Brasil e da embaixada da França.

embaixada-francesa-roteiro-buenos-aires

Continuamos nossa caminhada pela enorme Avenida 9 de Julho até chegarmos próximo à um dos símbolos de Buenos Aires, o Obelisco. Passamos também em frente ao teatro Colón, que estava em reforma. Já estava anoitecendo quando chegamos na Calle (rua) Lavalle, uma das ruas mais movimentadas no centro de Buenos Aires.

Ali várias lojas, restaurantes e muitos brasileiros. Conhecemos também a Calle Florida, a principal e mais conhecida rua de compras turísticas em Buenos Aires. À noite, tanto a Calle Florida, quanto a Calle Lavalle e o centro em geral ficam cheios de turistas e principalmente na Calle Florida é o horário em que vários camelôs deixam em exposição seus produtos e artesanatos para venda.

A agitação também se dá pelas apresentações de tango dos artistas de rua. São vários casais que se apresentam ao público para ganharem gorjetas. Mas existem outros artistas de rua que também se apresentam em vários pontos de Buenos Aires. Dentre eles, estátuas vivas, cantores, instrumentistas com seus violinos e grupos musicais tocando jazz.

pontos-turisticos-buenos-aires-obelisco

Paramos para jantar no restaurante “La Casona Del Nono” que aceita a moeda brasileira por uma ótima cotação. Pedimos um prato (bife de chorizo + acompanhamento), vinho e postre (sobremesa) onde foi servido um sorvete delicioso. Tudo isso por um preço muito bom.

No caminho de volta ao hotel paramos para comprar uma garrafa de água gelada, mas o vendedor não sabia o que significava a palavra “gelada”. Depois de um tempinho, finalmente ele entendeu que o que nós queríamos era uma garrafa de água fria!

Mais uma expressão para o nosso vocabulário de portunhol! Pegamos novamente o metrô para voltar ao hotel. Terminamos o dia cansadíssimos, mas com a sensação de que tudo tinha valido muito a pena.

2º dia – domingo, Roteiro em Buenos Aires

Caminito, estádio Boca Juniors, Feira de San Telmo, Parque Lezama, Museu Histórico Nacional,Puerto Madero, Puente de La Mujer.

Dia maravilhoso de muito sol e para começar bem, Mediallunas e Dulce de Leche no café da manhã. O roteiro de hoje era conhecer alguns dos principais pontos turísticos de Buenos Aires como o famoso Caminito e estádio do Boca Juniors, bairro de San Telmo e terminar o dia no lindo bairro de Puerto Madero.

Após o café da manhã e algumas dicas da recepção do hotel, saímos cedinho e já pegamos um táxi para o bairro Boca. Chegamos no Caminito antes das 10h da manhã e por isso não havia quase ninguém e os vendedores estavam começando a montar as barracas. Fomos primeiro visitar o Museu de Bellas Artes de La Boca que ficamos sabendo ter um terraço com vista panorâmica de toda a região, mas ele infelizmente estava fechado para reformas. De lá fomos a Fundación PROA que também possui um terraço lindo com café e vista parcial do porto.

roteiro-5-dias-buenos-aires-museu-proa

roteiro-buenos-aires-el-caminito

Seguimos pelas ruas do Caminito tirando muitas fotos e conhecendo as inúmeras lojas cheias de souvenir, os bares com suas mesas na rua e logo apareceram as dançarinas de tango puxando os homens para tirar fotos em troca de uma gorjeta. A maioria aceita e a foto fica engraçada.

As casas e lojas do Caminito são todas coloridas e representam as casas antigas das pessoas do bairro. Segundo contam, as casinhas da vila eram feitas com materiais velhos dos navios que eram pintados de cores coloridas para dar vida ao lugar.

loja-caminito-roteiro-5-dias-buenos-aires

roteiro-5-dias-buenos-aires-caminito

roteiro-5-dias-buenos-aires-tango-rua

 

Depois de entrar em várias lojinhas e andar pelas ruas do Caminito paramos em um restaurante bar chamado El Che Carlos que fica em uma esquina e é bem ajeitadinho. Tomamos a clássica cerveza Quilmes (pronuncia-se com o “L” no céu da boca) e comemos nossas primeiras empanadas que sem dúvida foram as melhores.

As empanadas são salgados tradicionais em Buenos Aires que lembram uma fogazza, mas com uma massa diferente. São deliciosas e você pode encontrar em qualquer lugar. As versões principais são carne, queso com jámon (presunto e queijo), pollo (frango) e outras variações.

onde-comer-buenos-aires-bar-caminito

onde-comer-buenos-aires-empanadas

As ruas do Caminito são fechadas no domingo e existem vários carros de polícia no entorno para assegurar o sossego dos turistas. Como vimos alguns comentários na internet sobre o bairro Boca ser perigoso, antes de ir para o estádio do Boca Juniors, perguntamos a um guarda se era seguro o caminho a pé até o La Bombonera (é assim que chamam o estádio) e a resposta foi positiva.

Na verdade nos surpreendemos pela distância. Do final do Caminito até o estádio do Boca são apenas duas quadras e como são muitos turistas que fazem o caminho não achamos nada de perigoso, muito pelo contrário. Mas claro, o negócio é não se arriscar caso não veja movimento na rua.

Chegando no Boca Juniors uma pequena calçada da fama com nomes dos jogadores e marcas dos pés no chão. Claro que do Maradona todo mundo quer ver. A entrada para os turistas é por dentro da loja de produtos do Boca Juniors e você pode optar pela visita Express, pela visita tour (guiada) e as duas podem ser combinadas com a vista ao museu.

Optamos pela visita tour o que nos deu direito a conhecer o estádio com um guia argentino muito simpático que confessou que torcia, no Brasil, pelo Corinthians.

Conhecemos os camarotes, as arquibancadas simples, vestiários e ainda entramos em uma parte lateral do campo. Para tirar foto dentro do campo e com o troféu o valor é cobrado a parte.

o-que-fazer-buenos-aires-estadio-la-boca

estadio-boca-juniors-o-que-fazer-em-buenos-aires

Dica: não se esqueça que a feira de San Telmo em Buenos Aires só acontece aos domingos.Saímos de lá e pegamos um táxi para San Telmo, para a famosa feira de domingo. A feira é enorme, com muitas barracas cheias de artesanato e diversos outros produtos. Muitos artistas se apresentam na rua.

Andamos bastante para encontrar o restaurante El Desnível que, segundo uma dica que pegamos na internet, ficava próximo ao n° 1400 da rua Defensa mas que na verdade fica no n° 855.

roteiro-buenos-aires-igreja

o-que-fazer-buenos-aires-feira-san-telmo

Dica: sempre pesquise informações sobre viagens no ILoveTrip! Aqui você não corre o risco de ser enganado com dados falsos. Viajamos primeiro para poder divulgar as melhores informações.

Chegamos ao restaurante El Desnível e apesar de ser considerado um dos mais tradicionais no quesito parrilla argentina e de ser um dos pontos turísticos em Buenos Aires, o lugar é bem apertado e bem simples. Depois da longa espera na fila, finalmente chegamos na mesa (colada com outras ao lado) e fizemos nosso pedido para o garçom, nada simpático e muito apressado.

Ficamos exatos 30 minutos esperando pelo pedido e nem sequer nossas bebidas foram trazidas. Depois de alertar o garçom sobre a demora, ele ainda continuou a entregar pedidos que foram feitos bem depois do nosso (por clientes argentinos).

Moral da história: saímos do restaurante sem a menor vontade de voltar ou indicar para alguém.

Fomos andando até o final da rua Defensa, no restaurante El Hipopótamo que fica em frente ao Parque Lezama. Pedimos uma massa deliciosa chamada Sorrentino. As massas ou pastas argentinas são muito boas e costumam ser bem macias e leves.

onde-comer-buenos-aires-el-hipopotamo

onde-comer-buenos-aires-bar-san-telmo

Saindo do restaurante El Hipopótamo atravessamos a rua para conhecer o Parque Lezama, mais simples e muito frequentado por famílias. Ao lado do parque, visitamos o Museu Histórico Nacional em Buenos Aires onde encontramos muitas peças sobre San Martin. A entrada é franca.

roteiro-5-dias-buenos-aires-arquiteturas

Chegamos no finalzinho da tarde em Puerto Madero, passamos em frente ao Casino Flotante e fomos andando por todo o porto pelo parque linear que está em toda extensão na beira do rio. São vários barcos parados e muitas famílias andando ou pessoas apenas sentadas nos bancos vendo o pôr do sol chegar.

Ali também estão prédios lindos e cafés aconchegantes. Fomos andando até a Puente de La Mujer, um dos símbolos  e o maior ponto turístico de Buenos Aires. A construção foi inspirada em um casal dançando tango e à noite a ponte fica toda iluminada. Ao lado da Puente de La Mujer fica um barco bem grande que funciona como museu. Infelizmente não conseguimos entrar porque ele fica aberto só até as 19h.

roteiro-5-dias-buenos-aires-puerto-madero

puente-la-mujer-buenos-aires

Ficamos curtindo o lugar e depois de um tempo pegamos um táxi para voltar ao hotel.

Logo que chegamos começou a chover e por isso optamos por jantar no próprio restaurante do hotel.

Foi um excelente dia para conhecer alguns dos principais pontos turísticos da cidade!

3º dia – segunda, Roteiro em Buenos Aires

Congresso Nacional, Plaza de Mayo, Casa Rosada, Catedral Metropolitana, Calle Florida e Galeria Pacífico, Manzana de Las Luces, Outlets Buenos Aires na Avenida Córdoba, Comércio Popular na Avenida Corrientes, Shopping Abasto.

Dia de conhecer o centro de Buenos Aires. Começamos pegando o metrô e descendo na estação Congresso para conhecer o gigantesco prédio do Congresso Nacional da Argentina que fica em Buenos Aires. Infelizmente só visitamos por fora, mas assim mesmo vale a pena ir até lá. Andamos até a Plaza de Mayo onde ficam algumas das principais atrações turísticas da cidade.

Queríamos saber o que ver e fazer no centro de Buenos Aires, pegamos algumas dicas e primeiro fomos conhecer a prédio do Congresso Nacional. É enorme e muito lindo. Andamos um pouco mais e chegamos até a Catedral Metropolitana, ou mellhor, a catedral turística da cidade. São muitos turistas e as fotos internas são permitidas.

O prédio é lindo e a entrada nada lembra uma igreja. Parece mais uma obra em estilo grego, com várias pilastras na entrada.

Catedral Metropolitana-Buenos Aires
Catedral Metropolitana
Catedral Metropolitana Dentro-Buenos Aires-Compras
Catedral Metropolitana

Ainda na Plaza de Mayo fomos até a Casa Rosada, sede do poder executivo e um dos principais pontos turísticos de Buenos Aires. A construção impressiona e é cercada por um jardim muito bonito.

Na Plaza de Mayo também ficam a matriz do Banco de La Nación Argentina e alguns outros prédios históricos.

Banco de La Nación Argentina-Casa Rosada
Casa Rosada
Casa Rosada-Banco de La Nación Argentina-Casa Rosada
Casa Rosada
Congresso Nacional-Plaza de Mayo-Catedral Metropolitana
Sede do Banco de La Nación Argentina

<<Quer vídeos sobre Buenos Aires? Conheça nosso canal no Youtube agora mesmo!>>

Fomos andando até a famosa Calle Florida para conhecê-la durante o dia. Entramos em algumas lojas com destaque para a loja Falabella e a Galerias Pacífico, bem grandes e com muitas lojas. Ainda na Calle Florida, destaque para a loja “Solo Deportes”, com tênis de diversas marcas com preços muito bons e ainda aceitam reais por uma excelente cotação.

Perto da Plaza de Mayo fica a Manzana de Las Luces. São edificações históricas da cidade que guardam um passeio turístico bem diferente até mesmo para os portenhos: a visita é guiada em túneis que interligavam diversas construções da época colonial de Buenos Aires. As segundas-feiras, às 13 horas, a visita é guiada e gratuita.

galerias-pacifico-em-buenos-aires-plaza de mayo
Galerias Pacifico
Túneis da Manzana de Las Luces-Buenos Aires-shopping Abasto
Túneis da Manzana de Las Luces

Voltamos para a Calle Florida e de lá pegamos um táxi até os famosos outlets de Buenos Aires na Avenida Córdoba, altura do nº 4.500, dentre eles Nike, Levis e Adidas.

Antes de irmos embora, paramos em um café para um capuccino e mais empanadas.

Na Avenida Corrientes pegamos um táxi até a altura do número 3.000 para conhecer o shopping Abasto e a região conhecida pelo comércio popular. Voltamos andando para o hotel já no final da tarde.

À noite, fomos ao centro e jantamos na Calle Lavalle no restaurante El Gaucho (que também aceitam reais por uma boa cotação) que não é tão bom quanto o “La Casona Del Nono”. Depois andamos um pouco pelas ruas movimentadas, vimos uma apresentação de tango e voltamos de táxi para o hotel.

4º dia – terça, Roteiro em Buenos Aires

Metrô da linha A, Tren de La Costa, San Isidro, Show de Tango no Café Tortoni

Reservamos o dia para um passeio diferente pelo Tren de La Costa até o Delta do Tigre. O passeio é fascinante, passando por algumas cidades com paisagens lindas. À noite, já com reserva garantida, fomos ao Café Tortoni apreciar o famoso show de tango que viajante nenhum pode deixar de assistir.

 

Logo cedo, pegamos o subte (metrô) na Plaza Miserere que ficava em frente ao hotel e mais uma vez a surpresa do antigo metrô de madeira da linha A. Se os vagões estivessem em um museu, com certeza fariam muito sucesso!

Não deixe de dar uma voltinha, mas prefira horários fora do pico porque lá, como em São Paulo, os vagões ficam lotados!

Além do visual peculiar, as portas são abertas pelos próprios usuários durante a entrada ou saída do trem. É bem diferente.

Metrô-Buenos aires-Casa Rosada
Metrô da linha A

Chegando no centro de Buenos Aires, fomos em direção ao banco Meridian na Calle Florida(que estava com uma das melhores cotações para troca), pois “a plata” estava acabando.

Fomos até uma rua ao lado da Casa Rosada, onde passam diversos ônibus, atravessamos a rua e pegamos a linha 152 – Olivos/Boca – sentido Olivos. São muitos ônibus em Buenos Aires e o interessante é que não existem cobradores, só motoristas. Após embarcar você informa a rota de destino e com base nisso o motorista fala quanto custa a passagem.

Dica: as máquinas que recebem as passagens dentro dos ônibus só aceitam moedas, por isso, entre com dinheiro trocado caso deseje usar esse transporte.

Optamos por pegar o ônibus coletivo para conhecê-lo e fazer um tour sobre rodas no bairro da Recoleta e Palermo seguindo à indicação de um blog que dava o trajeto em 40 minutos.

A idéia foi bacana, mas não contávamos com o trânsito da cidade que resultou em uma demora de 1h40 minutos para chegar no Tren de La Costa. O caminho seria bem mais rápido se tivéssemos optado pelo metrô.

Chegando à estação do Tren de La Costa, compramos nossos tickets e embarcamos no trem que é pequeno e muito bonito, com janelas panorâmicas e poltronas confortáveis.

Tren de la Costa-Buenos aires-Cidade de tigre
Vagão do Tren de La Costa
Tren de la costa-buenos aires-cidade de tigre
Tren de la costa

O passeio é pitoresco, com paradas em estações lindas, passando por algumas cidades que, apesar de próximas à Buenos Aires, são bem tranquilas. O percurso todo dura em média 40 minutos. Paramos primeiro na estação final e a mais conhecida, Delta do Tigre.

A primeira coisa que avistamos logo na saída da estação, do lado direito, foi o parque de diversões que estava fechado e mais a diante o Cassino. Como nossa visita foi em um dia durante a semana a cidade estava vazia, ótima para um passeio tranquilo e sem pressa.

Saímos pelo lado esquerdo da estação e caminhamos até o rio de onde saem as embarcações para passeios. Em volta do rio, uma espécie de parque linear, com um jardim lindo, bancos e árvores gigantes para enfeitar ainda mais o cenário. Andamos por todo o contorno do rio, paramos para apreciar a paisagem e optamos por almoçar no Café No’C.

cidade de tigre-buenos aires-san isidro
Cidade de tigre
cidade de tigre-buenos aires
Cidade de tigre
Café No’C - Cidade de Tigre - buenos aires
Café No’C – Cidade de Tigre

Após o almoço, pegamos o trem de volta e paramos na estação San Isidro, que definitivamente merece a visita. A cidade é linda, tranquila e com jeitinho de interior.

Não deixe de conhecer a catedral de San Isidro que lembra muito um castelo. Bem ao lado fica a Heladeria Galdí. Experimentar os sorvetes, são uma delícia!

No final do nosso passeio, nos recomendaram o trêm/metrô como forma mais rápida de chegarmos até o centro o que levou por volta de 40 minutos.

estação de san isidro- buenos aires- argentina
Estação de San Isidro
Heladeria Galdí - San Isidro - buenos aires
Heladeria Galdí – San Isidro
Catedral - San Isidro - buenos aires
Catedral – San Isidro

Seguimos até o Café Tortoni, considerada a casa mais tradicional de tango em Buenos Aires. Fizemos nossa reserva (sempre reserve antes porque mesmo durante a semana a casa fica lotada para apresentações de tango). Retornamos ao hotel para nos aprontarmos e voltamos à noite para o Café Tortoni.

Cafe Tortoni-Buenos aires-argentina
Cafe Tortoni
Café Tortoni - Salão do café - buenos aires
Café Tortoni – Salão do café

Dica: assistir um show de tango é quase uma obrigação para qualquer viajante que chega em Buenos Aires. Você pode fazer a reserva por conta própria ou consultar os pacotes do hotel que incluem jantar + show + transfer.

Nos dois casos o preço costuma ser bem alto. Se preferir algo mais em conta, o Café Tortoni que é super tradicional, oferece o show com bebidas e petiscos cobrados à parte. É uma opção fantástica para quem quer apreciar um ótimo show, em um lugar espetacular, comer e beber muito bem e ainda gastar 50% menos do que nas outras opções de pacotes fechados. Mas vale lembrar que a reserva deve ser feita bem antes para garantir um bom lugar.

Chegamos ao Café Tortoni e em plena terça-feira havia fila de espera na porta apenas para entrar no lindíssimo salão de café. Para o show de tango, os ingresso já haviam esgotado muitas horas antes. O salão para o show é rústico e muito bem decorado. São poucas mesas, em torno de 20, o que garante o privilégio para poucos.

À meia luz, o clima fica aconchegante parecido com um barzinho mais sofisticado. Começa o show. E o espetáculo realmente é um show. Uma orquestra com instrumentos clássicos toca ao vivo a música que direciona os passos perfeitos dos bailarinos que além de dançar, interpretam cenas durante a apresentação, parecendo um musical.

 

Cafe tortoni - buenos aires- argentina
Café Tortoni
cafe tortoni- buenos aires- argentina
Cafe tortoni
cafe tortoni - tango - buenos aires
Cafe tortoni
Cafe tortoni – Show de tango

5º dia – quarta, Roteiro em Buenos Aires

Costanera Sur, Retiro, Torre dos Ingleses, Plaza San Martin

Último dia em Buenos Aires e aproveitamos para conhecer alguns pontos turísticos próximos ao centro que ainda não tínhamos visto como o gigantesco parque Costanera Sur, Torre dos Ingleses e Plaza San Martin. Além disso, aproveitamos para fazer as últimas compras e comer o deliciosoalfajor argentino. No final do dia tivemos que nos despedir da cidade já com gosto de saudade.

Último dia de viagem. Depois de fazer as malas, acertamos o horário de check out para às 13h e o serviço de remisse para às 17h30.

Pegamos um táxi até a Reserva Ecológica Parque Costanera Sur ao som do estilo Reggaetonque o taxista boliviano estava ouvindo. Esse estilo de música é bem popular em Buenos Aires.

A Costanera Sur é gigante, com trilhas e alguns pontos para observar pássaros e a paisagem. É um lugar bom para fazer corrida e caminhada. Andamos pela trilha mais curta de 2km de extensão.

Alfajor-buenos aires-Argentina
Reserva Ecológica Costanera Sur

Saindo de lá fomos para a região do Retiro conhecer a Torre de los Ingleses, réplica do Big Bem de Londres. O elevador dentro da torre estava fechado por isso não subimos, mas aproveitamos que ali funciona um centro de informações turísticas e pegamos um mapa dos museus de Buenos Aires.

Atravessamos a rua e conhecemos a enorme Plaza San Martin, bem próxima a Calle Florida.

Puerto Madero-Buenos aires-Plaza
Escultura em Puerto Madero
Buenos aires-Plaza-Costanera
Plaza San Martin
Plaza san martin-Torre dos ingleses
Torre dos Ingleses

Voltamos ao hotel para terminar de arrumar as coisas e deixamos nossas malas na recepção até o horário que estava marcado com o remisse.

Voltamos para o centro de Buenos Aires, almoçamos e durante o restinho da tarde aproveitamos para fazer umas últimas comprinhas na Calle Florida.

Dica: os alfajores são sinônimos da marca Havanna apenas para turistas. Nos supermercados existem marcas de alfajores tão deliciosas (e na opinião de muitos até mais gostosas) quanto os produtos da Havanna e o melhor: são vendidos em pacotes por um preço bem mais barato. Experimente o alfajor da marca Bagley, um dos melhores e com variedade de sabores.

Dica: Aproveite a dica acima e compre alfajor como presentinho para os amigos, todo mundo adora!

Dica: os bancos e casas que fazem câmbio no centro de Buenos Aires ficam abertos até as 15h.

Chegamos ao hotel às 17h30 e o carro do remisse já estava nos aguardando e às 18h15 já estávamos no Aeroporto Ezeiza. Valeu a pena chegar um pouco mais cedo porque pegamos muitas filas para fazer check in e embarcar.

Dica: caso queira fazer compras no Dutty Free, programe-se para chegar bem antes do vôo no Aeroporto de Ezeiza.

Ufa, que post gigante! Ainda ficou alguma dúvida ou dicas sobre Roteiro 5 dias em Buenos Aires? Deixe seu comentário abaixo

Leave a Reply